E viveram felizes para sempre… SQN

Em tempos de blogs e muitas mídias e fotos e exposições, acabamos mostrando mais a parte boa, as fotos melhores, as selfies com melhores ângulos e assim, parece que vivemos como nos contos de fadas… e foram felizes para sempre… #soquenao.

Nossos dias são corridos sim, temos problemas como a maioria das famílias… também conhecemos as “DRs”. Mas, realmente é melhor falar e contar as belezas da vida.

Passamos nas ruas, praças e jardins e sim, vemos o lixo no chão, vemos as pessoas amontoadas sem teto; por muitos motivos… vícios, abandono, falta de condições financeiras, falta de programas sociais etc etc etc. Mas se vamos fotografar preferimos registrar e mostrar a flor amarela do Ipê que acabou de mostrar sua graça, independentemente do que está ao seu redor “ele floresce, porque floresce”! E de fato é Maravilhoso!

Vemos pessoas com crianças de colo ou pequenas, sentadas nas calçadas pedindo… e a criança ali, junto, sem condições favoráveis, sem estimulo ou respeito ao seu tempo de brincar e ser criança com direitos, teoricamente garantidos em lei. Mas se vamos postar, preferimos mostrar o belo, a plaquinha colorida e com frases de incentivo, nossa vida saudável e feliz…

No meu caso, vejo no consultório as dificuldades, das crianças, das famílias, emoções confusas, agitações e papéis dificultados nas relações do dia a dia.

Em casa também tenho isso. Sei o que são as birras, o não fazer o que mandamos na hora, a correria para chegar no horário dos compromissos…

E continuamos falando de coisas boas, talvez para dar conta e um pouco de cor aos momentos difíceis… talvez, porque realmente precisamos mostrar para nós mesmos (e é certo que entendemos melhor quando falamos ou escrevemos) o que temos de melhor, ou o que vemos de bom… Mais ou menos como na terapia, quando a pessoa chega queixando se que não progride, não consegue que os filhos façam isso ou aquilo, mas no meio da “conversa” contam que receberam um premio no trabalho por uma ideia boa que apresentaram por lá, ou contam que o filho foi aprovado no curso, ou que a viagem do final de semana foi boa porque conseguiram reunir a família á mesa…

E assim caminha a humanidade… precisamos ver o belo, apesar de saber que existe o feio.

Por aqui mostro as peripécias de uma menina sapeca, que corre, gosta de subir em arvores e brinca muito, e não costumo contar muito o quão difícil é chegar no horário na escola… deixar de assistir Vallentins para fazer o dever de casa… almoçar sentada e educadamente á mesa sem se levantar varias vezes para pegar um brinquedo… criança sendo criança e mãe sendo mãe.

Como sempre digo: exercício diário de ser mãe! Nós temos consciência da importância do diálogo, do “exemplo mais do que de mil palavras”, de que há tempo para todas as coisas e vamos exercitando isso no dia a dia…

Vivemos dias difíceis sim e acabamos envolvidas pelo que achamos que temos que fazer e dar conta e ainda posar de “perfeitinhas”. Se não estivermos atentas à nós mesmas e nossas capacidades reais, vivemos e abraçamos a culpa todos os dias, porque sempre achamos que poderíamos ser melhores. Não dá tempo de fazer tudo o que queremos. Trabalhar, ser boa mãe, companheira, amiga das amigas… e as vezes faltam dias no mês e sobram intenções e compromissos. Vamos aprendendo com o que é possível! Somos boas sim! Boas mães, quando nos preocupamos, tentamos fazer nosso melhor papel, cuidamos, damos segurança, demonstramos amor sem proteger demais; brincamos e também brigamos; somos profissionais e sabemos que precisamos estar atentas ao que acontece de bom nesse mundo de informações velozes; E o café com as amigas, nem sempre dá, mas as amigas entendem também… Tem dia que não dá nem pra maquiagem, mas ai é fácil (rsrs) é so não fazer selfie e postar foto das flores, sempre lindas!!!

Porque nós somos reais e não perfeitinhas e sabemos de nossas fraquezas e potencial, não damos conta de tudo e temos limites humanos a serem respeitados. Não temos que dar conta mesmo! Somos mães, mulheres, profissionais… e tudo o que queremos ser, com ou sem moderação! E quando precisamos, sabemos que podemos pedir ajuda (como a terapia pessoal ajuda nisso!).

Hoje é quarta feira (ainda), véspera de feriado e o mês de setembro promete ser bem florido, talvez com algumas selfies, depende do tempo!!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *