Porque devemos cuidar da pracinha?

Depois do evento na praça, em 24 de setembro, fiquei pensando… caramba que bom ver tanta criança brincando! Famílias interagindo! Conversando com uma amiga, lembramos de nossa infância, e como brincávamos; pique bandeira, queimada, bolinha de gude, pique-pega e estávamos ali, na rua, era muito divertido. Como diz a música “brincadeira de criança, como é bom…”

Porque nossas crianças não brincam assim? Se nós brincamos e sabemos que é bom, porque não ensinamos a elas? Porque não mostrá-las como fazíamos?

   “Ah Silvia, mas na nossa época era diferente, nós brincávamos na rua e não tinha tanta violência”

Ta certo, sei disso, de fato nossa cidade está perigosa e complicada, não podemos mais brincar na rua… mas, e nas praças?

“ah as praças não tem segurança também, estão tomadas de moradores de rua, ou estão sujas, em más condições, não tem sombra e às vezes nem lugar para sentar…”

Também sei disso, vejo também, mas como diria Freud:

qual a sua participação na desordem em que se encontra?”

O brincar é sempre importante e em muitos aspectos – socialização, desenvolvimento físico, psicomotor, desenvolvimento de habilidades de raciocínio e poderíamos enumerar uma infinidade de outras coisas, além de Educação.

♠ Quando estamos com a criança e ela quer brincar de uma forma que sabemos que poderá se machucar ou quebrar o brinquedo, é nossa função ensiná-la que ali é um espaço para outros brincarem também e então não podemos quebrar, destruir ou brincar de forma que vá impedir a brincadeira do outro. E com isso a criança aprende: EDUCAÇÃO, RESPEITO, CIVILIDADE.

♠ Quando a criança está brincando no tanque de areia e tira a areia dali e leva para outro lugar que não é da areia, precisamos mostrá-la que cada coisa tem seu lugar e uma razão de ser, porque outras crianças também querem brincar com a areia e se ela tirar, a areia não volta para o tanque sozinha, o tanque ficará vazio e a outra criança sem brincar.

♠ Quando a criança arranca as flores, ou folhas, ou galhos das árvores quem deve ensiná-las o cuidado com a natureza? Porque daqui a pouco não teremos sombra, nem flores e um espaço agradável para frequentar, mesmo que os órgãos públicos venham repor, nós podemos e devemos zelar.

Quando passeamos com nossos pets… hummm

Quem gosta de pisar em xixi ou caquinha de cachorro? E se seu filho sentar no xixi do cachorro, o que você vai sentir?

Se não gostamos, porque não ensinamos aos nossos filhos a não levarem os cachorrinhos para a área onde outras crianças também vão sentar no chão para brincar?

Nós, adultos, ensinamos com exemplos, com palavras, olhares, gestos e com AMOR e quem ama, CUIDA, então podemos ensinar a cuidar também.

Se fecharmos os olhos e imaginarmos um lugar bonito, agradável, como será esse lugar? E se for uma praça perto de casa, como gostaríamos que fosse? O que falta na nossa praça? Volto a Freud… “qual a sua participação na desordem em que se encontra”?

Muitas vezes na empresa, local de trabalho, reclamamos que não encontramos pessoas pró-ativas, comprometidas, responsáveis, confiáveis, e vemos jovens que terminam a faculdade e querem trabalhar (e devem!) mas, nunca pegaram um boleto na secretaria da faculdade para pagar, não estou dizendo do pagar e sim do ir à secretaria solicitar uma segunda via, ou resolver algum assunto de ordem prática e necessária. Esse jovem não consegue resolver questões no estagio porque não suporta ouvir o NÃO, não consegue esperar uma oportunidade para apresentar sua ideia, sempre acha que seu projeto é melhor do que do outro, sem nem ver o outro; reclama da “perseguição” do professor da “facul”, mas não consegue chegar no horário da aula e com o material da aula…

De onde vem esse aprendizado para o jovem?

⇒Do tempo do brincar! Quando a criança que vivenciou na fantasia, na imaginação as situações de seu presente e ate de seu futuro, teve chance de aprender um pouco com ela;

⇒ Do dia de brincar quando queria pular corda, mas não queria esperar sua vez;

⇒ Do momento em que saiu da brincadeira chorando porque os outros não o estavam deixando participar e foi aos pais e esses o aconselharam a deixar pra lá e brincar com outra coisa;

⇒ Quando jogou o guardanapo ou o copo descartável no chão e ninguém o repreendeu dizendo que o lixo esta logo ali;

⇒ Quando chora e sai da brincadeira porque perdeu a vez e não tem alguém do seu lado para explicar com amor que é assim e que faz parte da vida ganhar e perder, mas importa lutar

Como aprender a ser jovem e ter comportamento seguro se não exercitar isso quando criança?

Outro dia ouvi a seguinte frase:” sou criança e a gente não nasce sabendo tudo, eu estou aprendendo ainda”

Verdade! Estamos sempre aprendendo!

Voltando ao inicio… Porque devemos cuidar da pracinha?

Porque nela temos oportunidade de viver e crescer, brincar e aprender!