Perai

Você quer uma criança que te obedeça sem questionar ou uma criança que entenda porque deve obedecer?

Percebe uma diferença?

A criança que obedece por medo, coação, nem sempre entende porque o faz, não experimenta, não questiona e como será esse jovem na conquista de um trabalho? Saberá lutar pelo que pensa? Terá condições de questionar e mudar para conquistar o que quer? Saberá o que quer?A criança quando está brincando e chamamos para fazer outra coisa – tomar banho, almoçar, fazer dever de casa, entre outras coisas – muitas vezes nos responde perai.

Esse perai acaba com nossos nervos porque se repete e o tempo vai passando…

Vamos pensar um pouco neste perai:

Sabemos que brincar é muito bom e importantíssimo para o desenvolvimento infantil; sabemos que é no brincar e pelo brincar que as crianças desenvolvem habilidades sociais, emocionais, físicas e que são a base para o jovem e adulto que se tornarão. Pois bem, quando dizem peraí, entendemos que não querem deixar de fazer o que estão fazendo para mudar, a noção de tempo que já temos como adultos eles ainda não tem, e ainda estão construindo e então precisamos ajuda-los a acrescentar mais esse aprendizado. Além do fato de quando estamos fazendo algo e queremos terminar (um texto, um post, lavando uma louça, pagando um boleto na internet, ou qualquer coisa que estejamos fazendo) também não gostamos de deixar de imediato para atender outra pessoa.

Como faremos isso? Através dos combinados, acordos, negociações, contratos, cada família vai encontrar seu modo de fazê-lo e as regras que estabelecerão. Vão descobrindo juntos, não tem um acordo comum a toda família, uma regra fixa.

Sei que é fácil falar! Mas também tento fazer e nem sempre acertamos da primeira vez, mas precisamos insistir e lembrar que são crianças, e para isso a repetição opera muitas vezes.

Por aqui a criança está brincando e aproximando da hora de tomar banho para ir para escola. Então já tento um combinado um tempo antes: Filha, precisamos terminar o jogo ou a brincadeira em tantos minutos e organizar o espaço e tomar banho, faremos isso sem confusão ou brigas. “Mas mãe não brinquei nada”. Sim, brincou, brincou por uma hora, é que passa rápido mesmo quando está divertido. Mas hoje deve ter também uma aula interessante na escola, reencontrar os amigos, saber das novidades deles, ensaio do balé para apresentação, vamos nos arrumar.

Bom, esse é o meu jeito, como disse, as famílias encontram seus combinados. Vale o esforço e a troca, as crianças quando entendem o que precisam fazer e para que precisam fazer, geralmente fica mais fácil.

Sei que nem todo dia é fácil e que temos dias mais cansadas, dias de enxaqueca, dias de horários apertados…

Mas quem disse que educar para formar indivíduos pensantes seria fácil?

Obs. imagem tirada da internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *