Ansiedade nossa de cada dia

Ansiedade é sempre tema dificil para nós adultos e quando falamos de criancas?! Como sabemos que a criança está ansiosa?

Os comportamentos variam de criança para criança, assim como os motivos e modos de intervenção, a final cada uma tem seu jeitinho de responder ao que lhes ocorre. O que as vezes incomoda a uma, talvez não incomode tanto a outra.

De uma forma geral as crianças mudam o comportamento, ficam mais chorosas, parece manha, outras gritam, aparentemente sem motivo, outras ficam agitadas durante o sono, já vi casos de crianças que arrancam cabelos ou se coçam formando machucadinhos, ja vi criancas entre 7 a 9 anos se masturbando na escola sem conseguir controlar, outras gritam e ficam agressivas com os amigos…
A ansiedade aparece de muitas formas e por variados motivos… externos ou internos.

O que pode desencadear a ansiedade:
Dificuldade de aprender alguma coisa na escola, ou de acompanhar a turma, mudança na rotina da família (por exemplo quando o pai ou a mae muda o horário de trabalho ou passa a viajar mais a trabalho), falta de atenção dos pais, separação dos pais, mudança de escola, cidade ou casa (as mudanças geralmente deixam alguma marca) … falando de fatores externos.
Mas existem fatores internos, subjetivos de cada sujeito e que desencadeiam mudanças de comportamento e muitas vezes as crianças não entendem o que está acontecendo, só sentem o incômodo e reagem. .
E o que podemos fazer enquanto pais?
Observar e Acolher para tentar identificar os motivos, a origem da mudança do comportamento, esse olhar muitas vezes precisa ser de nos colocar no lugar da criança para assim entender o que ela sente. Lembra que você também fica ansiosa e nem sempre consegue se conter e expressar?

Como pais temos limites de até onde conseguimos ajudar nossos filhos nessas situações de sentimentos, emoções e subjetividade e não é falha ou sinal de fraqueza ou incapacidade buscar terapia. É necessário uma escuta específica e o trabalho de um profissional para ajudar a criança ou o adulto.

2 thoughts on “Ansiedade nossa de cada dia”

  1. Amiga,
    Como percebemos cada vez mais cedo a ansiedade em nossas crianças, você relatou atos e casos que confesso ter ficado espantada… mas, se nós adultos não sabemos expressar, muitas vezes recorrendo na comida e doces… quem dirá nossas crianças.
    Amei a sua abordagem… e precisamos sim, procurar ajudar quando percebemos que vai passando do limite.
    bjs, Cris

    1. Oi Cris, pois é, no dia a dia no consultório ou mesmo convivendo com outras crianças percebo a ansiedade delas de diversas formas sim, e como você disse para nós adultos procuramos formas de “fuga” não muito saudáveis, eles também e nós como pais precisamos estar sensíveis a esses pedidos de socorro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *