Autora

Sou assim

Para falar de mim preciso evocar lembranças e fazer um histórico de vivências que me compõem hoje.

Nasci na cidade do Rio de Janeiro, mudei para o interior de Minas Gerais com 6 anos de idade com mãe, pai e irmão. Brinquei muito na rua, subi em árvores na fazenda, comi muita jabuticaba tirada do pé, fresquinha; joguei bola e fiz muita molecagem.

Cresci um pouco, não muito na estatura, estudei em uma ótima escola, participei de todos os campeonatos esportivos que a escola promovia, joguei vôlei, basquete, handball, corrida, salto em altura… era a queridinha do professor de educação física, talvez porque não tinha estrutura física para tanto e estava lá, firme.

Na faculdade de Psicologia fui descobrindo o gosto aos poucos e aos muitos me apaixonando pelo universo infantil. O trabalho de conclusão não poderia ser diferente, foi sobre o brincar sob uma visão psicanalítica.

E gostei tanto que na Pós Graduação, dei continuidade ao tema e não parei mais de me envolver com o brincar e sua importância para o desenvolvimento infantil, bem como, defendo o bem que faz a todos que se permitem se entregar a esse prazer.

Voltei ao Rio, casei, tive uma filha, literalmente uma vitória em minha vida, Carla Vitoria! E não preciso dizer que sentava no chão da praça para brincar com ela e os bebês chegavam e nos divertíamos muito por ali, com tapetes e brinquedos. Os bebês cresceram e continuamos brincando e hoje minha filha diz que pareço mais criança do que ela, porque faço muita bagunça e sapequice…

Um pequeno estagio antes de ser mãe
                                                                                                                                                                 Minha sobrinha

Enfim nós, nasceu da vontade de compartilhar toda essa vivência brincante responsável com visão de mãe e psicóloga.

Nós porque não são amarras, mas laços!

Nós porque somos muitas, mães, filhas, crianças, tias, tios e pais e ás vezes isso tudo dá nó mesmo e embola.

Eu quero falar da minha infância

Das brincadeiras, das delicias e das dores

Das artes e das cores

Das mães avós e amores

Da vida e seus temores

Quero falar, tocar, despertar

Acalmar e acordar

Porque a vida pode ser mais com flores

Quero falar e escutar

Porque a final não estou sozinha, esse é o meu fazer

Quero ajudar, somar, multiplicar

Pode acreditar!

“é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança”

Enfim nós estamos aqui!!!